NOTÍCIAS

 

Na tarde desta quarta-feira, no plenarinho da Câmara Municipal, os vereadores receberam a diretoria do Instituto Federal – IF que vieram falar sobre o impacto financeiro que o bloqueio de verbas anunciado pelo Ministério da Educação está provocando no campus Votuporanga.

A convite do presidente da Casa de Leis – vereador Mehde Meidão Slaiman Kanso, a direção-geral do IF mostrou os números do campus Votuporanga e o que representa o bloqueio de até 30% do orçamento anual anunciado pelo Governo Federal, através do Ministério da Educação.

O diretor-geral Marcos Furini explicou aos vereadores que o orçamento do campus Votuporanga é aprovado no ano anterior, conforme estabelece a LOA (Lei Orçamentária Anual) e que os recursos são aplicados no custeio e manutenção do Instituto Federal, em serviços essenciais, como o pagamento de contas de água, energia elétrica, limpeza interna e externa da unidade, segurança e compra de materiais de consumo. Furini disse ainda que com o corte no orçamento atingirá também em investimentos nos alunos, laboratórios, compra de livros e até mesmo na concessão de bolsas de estudo.

O campus Votuporanga do Instituto Federal possui em torno de 1.600 alunos de diversas regiões do Brasil, como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Bahia e várias cidades do interior.

De acordo com o diretor do IF, “selamos essa sequência de ações de transparência e acesso a informação com a visita aos representantes da população local. Fomos muito bem recebidos pelos vereadores de Votuporanga exercício de diálogo republicano e peito aberto para falar sobre o tema Orçamento Público e tratar a questão do bloqueio de recursos. Planilhas e contas abertas e a felicidade pelo apoio e compreensão dos vereadores, que farão uma série de esforços locais junto a esfera municipal e uma força-tarefa junto às bancadas parlamentares federais para que o Câmpus Votuporanga receba emendas. Até aqui, entre abril e maio, fizemos reuniões de gestão, com os servidores, estudantes e também com seus familiares e a comunidade em geral”, explicou Furini.