NOTÍCIAS

 

O momento que o mundo vive em razão da pandemia do Covid-19, muitas ferramentas e atitudes foram colocadas em prática pela Câmara Municipal de Votuporanga como forma de evitar a disseminação do vírus.

Por determinação da Mesa Diretora, através do presidente Mehde Meidão Slaiman Kanso, os serviços do Legislativo ficaram restritos ao trabalho interno de servidores e vereadores, além de fechar o atendimento ao público. Nesta semana, as portas reabriram para atendimento ao público, levando em consideração diversas exigências de higiene, como uso obrigatório de máscaras e numero limitado de pessoas dentro do prédio do Legislativo.

Outra determinação colocada em prática por Meidão, diz respeito a economia nos cofres públicos e mais uma forma de coibir a disseminação do Coronavírus.

O sistema “Papel Zero” no âmbito da Câmara Municipal, digitalizando todos os serviços e diminuindo os gastos com xerox e papel.

Conforme o Ato nº 11, de 04 de maio de 2020, no qual em seu Art. 1º dispõe que “as proposituras e o expediente a serem lidos durante as Sessões Ordinárias e Extraordinárias, bem como os demais documentos oficiais serão enviadas por meio eletrônico aos Vereadores e interessados, sendo eliminados gradativamente as impressões em meio físico.”

Sendo assim, todos os documentos legislativos de interesse dos vereadores(a) a partir de agora começarão a serem enviados por meio eletrônico, tais como o release das Sessões, cópia dos projetos a serem lidos no expediente, dentre outros, buscando dessa forma a administração da Câmara Municipal eliminar o uso de papel e da impressões dos mesmos.

“Assim, esta Casa Legislativa busca tornar sua gestão mais sustentável e econômica em todos os seus procedimentos, conforme estabelecido na Resolução nº 3 de 18 de fevereiro de 2019 “Planejamento Estratégico da Câmara Municipal para o biênio de 2019/2020”, destacou o presidente Meidão.

O uso do papel, xérox, toners e cartuchos de impressoras geram gastos ao Poder Legislativo e poluição ao meio ambiente, sendo que podem ser evitados com a utilização de meios eletrônicos que já são habitualmente utilizados pelos Vereadores em diversos tipos de comunicações oficiais.

“Sabedores disso, nosso atual Regimento Interno já prevê que as proposituras poderão ser enviadas aos vereadores por meio eletrônico, bem como que a Câmara em suas rotinas, produz grande volume de documentos e como resposta a essa questão, esta Casa de Leis deu o pontapé inicial com esta iniciativa, colocando em prática ações sustentáveis no intuito de gradativamente extinguir as impressões em papel, bem como dar inicio a implantação do processo administrativo e legislativo totalmente digital sem a utilização de papel”, justificou Meidão.